Qual o café mais caro do Brasil?

Qual o café mais caro do Brasil?

Tempo de leitura: 9 minutos

Qual o café mais caro do Brasil?

Apaixonados por café frequentemente exploram sabores novos e surpreendentes, incluindo cafés exóticos como o Café Jacu, Kopi Luwak e Black Ivory, notáveis por seus métodos de produção únicos que envolvem o uso de fezes de animais.

O Café Jacu, originário do Espírito Santo no Brasil, é feito a partir das fezes do pássaro Jacu e ganhou fama mundial por sua peculiaridade.

Esse método, embora inusitado, é adotado pela semelhança do café com variedades premium internacionais.

A história do café do jacu

Os jacus, inicialmente um problema para os produtores de café da Fazenda Camocim no Espírito Santo devido aos danos causados às plantações, começaram a apreciar os cafés de alta qualidade da fazenda.

Em busca de soluções para evitar o extermínio das aves, os administradores se inspiraram no processo de produção do café mais caro do mundo, encontrando uma maneira de conviver harmoniosamente com os jacus.

Essa abordagem não só solucionou o problema com as aves, mas também agregou valor ao café produzido localmente.

Problemas com os pássaros

Os cafés de alta qualidade da Fazenda Camocim no Espírito Santo, inicialmente visados pelos jacus, que causavam prejuízos às plantações, inspiraram uma solução inovadora.

Inspirando-se no método usado para produzir o café mais caro do mundo, os administradores encontraram uma forma de convivência pacífica com as aves.

Essa estratégia não só resolveu o problema dos danos causados pelos jacus, mas também valorizou o café produzido na região.

Solução que vem da Indonésia

O Kopi Luwak, um café exclusivo da região de Sumatra, é obtido através dos grãos consumidos e depois excretados por um tipo de gambá selvagem, inicialmente visto como praga pelos agricultores.

A descoberta de que a digestão do animal preservava os grãos, enriquecendo o café com qualidades únicas, transformou essa percepção.

Inspirado por este processo, um fazendeiro adaptou a metodologia para aproveitar os grãos digeridos pelo jacu, criando assim o café do jacu, uma bebida igualmente singular.

Como é produzido?

O Café do Jacu é produzido através de um método único, onde a ave Jacu seleciona os grãos mais maduros e saudáveis sem intervenção humana.

O Jacu, que não possui estômago, consome somente a polpa e a casca, excretando a semente intacta, o que confere ao café características e um sabor distintos. Os grãos são colhidos manualmente perto dos cafezais, seguindo por etapas de limpeza, torrefação e moagem.

A digestão do jacu

O diferencial do café citado origina-se do processo digestivo do jacu, que consome apenas a polpa do grão, eliminando-o intacto por não ter estômago, o que lhe confere um sabor único.

Os grãos são então limpos, secos e torrados, em um processo semelhante ao do Kopi Luwak.

O que era visto como um problema na fazenda de Camocim, tornou-se uma prática sustentável e lucrativa.

Os grãos, comparados a diamantes, não são colhidos, mas encontrados após a passagem pelo jacu, tornando este café um dos mais caros do Brasil, reconhecido por suas premiações.

Qual é o preço do café jacu?

O café mais exótico do Brasil é realmente especial e valioso devido às suas propriedades únicas e processo de produção.

Embora seja o café mais caro do país, há muitos apreciadores apaixonados por essa bebida. Atualmente, o preço de um quilo desse café pode variar em torno de R$ 1 mil.

É importante ressaltar que os valores podem variar dependendo do local de compra, mas essa é a média de custo. Existem boas razões para justificar esse preço elevado.

Por que o Café Jacu é tão caro?

O Café Jacu é um dos cafés mais exclusivos e caros, tanto no Brasil quanto no mundo, devido ao seu método de produção único, que envolve aves jacu, ameaçadas de extinção e protegidas por legislação ambiental.

A produção é restrita, pois depende da alimentação natural do jacu com os frutos do café e da coleta manual dos grãos nos dejetos das aves.

Este processo justifica o alto preço do café, que é majoritariamente exportado.

A Fazenda Camocim adota práticas biodinâmicas e sustentáveis na produção do Café Jacu, contribuindo para a preservação da espécie e do meio ambiente, refletindo o compromisso com a qualidade e a sustentabilidade.

A presença do jacu também indica a saúde e a preservação do seu habitat.

Quais são as características?

O Café Jacu é uma experiência diferente e exótica que muitos consumidores desejam experimentar. No entanto, seu sabor e apreciação dependem do paladar individual. Embora a maioria aprecie, há aqueles que podem não gostar.

Esse café não é para todos devido ao seu alto preço e processo de produção especial. No entanto, para os amantes de café, vale a pena experimentar pelo menos uma vez e formar suas próprias opiniões sobre ele.

O café Jacu é sujo?

O Café Jacu oferece uma experiência de degustação exótica e única, que pode variar conforme o paladar individual.

Enquanto muitos o apreciam, alguns podem não gostar. Devido ao seu alto custo e método de produção diferenciado, não é acessível a todos.

Contudo, é recomendado que os aficionados por café o experimentem ao menos uma vez para desenvolverem sua própria percepção sobre este café distinto.

Os sabores do café do Jacu

O Café Jacu, originário exclusivamente do Brasil e produzido na Fazenda Camocim, destaca-se por ser exótico e saboroso, proporcionando uma experiência única comparável à do Kopi Luwak da Indonésia.

Além de seu sabor equilibrado, ele representa a rica história e tradição brasileira na cultura cafeeira.

Uma bebida que vale a pena ser experimentada, especialmente considerando que muitos ainda não a conhecem.

Como fazer este café?

O preparo do café Jacu segue o mesmo processo que outros cafés. Se já estiver torrado e moído, utilize um coador.

Se estiver em grãos, moa-os na hora com um moedor para uma experiência aprimorada. Para preservar o sabor, é aconselhável usar água mineral e pré-enxaguar o filtro com água quente.

Café Jacu é bom?

O Café Jacu é apreciado de acordo com preferências pessoais e é altamente valorizado internacionalmente.

A maioria de sua produção é exportada, destacando-se pela alta qualidade e doçura característica dos grãos 100% Arábica.

Sua exclusividade e excentricidade, devido à produção limitada, tornam a experiência única para os amantes de café.

Além disso, sua produção é totalmente natural e não afeta a sobrevivência da espécie, garantindo a qualidade do produto.

Experiência sensorial

O café Geisha é reconhecido por sua excepcional experiência sensorial, caracterizada por sua doçura intensa e notas de mamão e maracujá.

Alexandre Marchetti, Q-Grader da Orfeu, enfatiza a importância dos cuidados meticulosos em toda a cadeia de produção para alcançar grãos de alta qualidade.

A premiação recebida é significativa para a Orfeu, evidenciando sua capacidade de manter elevados padrões de qualidade mesmo com uma produção em larga escala.

Outros premiados

O segundo maior lance no leilão foi para o café da categoria “Via Úmida”, da Fazenda Rio Verde em Minas Gerais, comprado pelo Grupo Cafeza do Brasil por R$ 40,7 mil por saca, totalizando R$ 101,6 mil.

O terceiro maior lance foi para o café da nova categoria “Experimental”, também da Fazenda Rio Verde, adquirido pela Decameron Coffee da China por R$ 32,7 mil por saca, alcançando R$ 81,9 mil pelo lote.

Competição acirrada

O diretor executivo da BSCA, Vinicius Estrela, ressaltou a intensa competição pelos melhores cafés do Brasil na safra atual, com 2.989 lances, um aumento de 85% em relação aos 1.614 lances do leilão de 2022.

A disputa acirrada durante mais de oito horas por empresas globais no Cup of Excellence demonstra a qualidade e a segmentação acertada dos cafés brasileiros.

Os 30 lotes vencedores foram comprados por empresas de dez países, incluindo Alemanha, Arábia Saudita e Brasil, com um preço médio de R$ 13 mil por saca de 60 kg, totalizando R$ 1,5 milhão em arrecadação.

O Cup of Excellence é o principal concurso de qualidade para cafés, organizado no Brasil pela BSCA, ApexBrasil e ACE.

Vale a pena comprar o café Jacu?

Adquirir o café Jacu é uma excelente escolha, dado seu sabor exótico.

Pensando em sua conveniência, selecionei links para que você possa comprar online e receber o produto em sua casa com todo o conforto. Não perca a oportunidade, clique nos links a seguir para comprar o café Jacu imediatamente.

Conclusão

O Café Jacu, originário do Espírito Santo e produzido pela Fazenda Camocim, destaca-se no cenário cafeeiro brasileiro por seu método de produção único e sua contribuição à sustentabilidade.

Este café, processado naturalmente pelo pássaro Jacu, oferece um sabor distinto e representa uma solução inovadora para a convivência harmoniosa entre agricultura e vida selvagem.

Inspirado no Kopi Luwak, o Café Jacu simboliza luxo e exclusividade, refletidos em seu alto preço, que também evidencia o compromisso com práticas agrícolas sustentáveis e a preservação de espécies ameaçadas.

A Fazenda Camocim adota práticas biodinâmicas, reforçando a importância da agricultura orgânica na produção de cafés de alta qualidade e na conservação ambiental.

O preço elevado do Café Jacu justifica-se pela qualidade excepcional, pela experiência única que proporciona e pelo impacto positivo de suas práticas de produção no meio ambiente.

Adquirir o Café Jacu vai além do consumo; é um apoio a um modelo de produção que valoriza a biodiversidade e a sustentabilidade, fazendo dele um produto que transcende o paladar para refletir valores de inovação e responsabilidade ambiental.