Tipos de pé de café

Tipos de pé de café

Tempo de leitura: 9 minutos

Tipos de pé de café: Conheça os tipos e saiba como plantar

Muitos conhecem o aroma do café torrado, mas poucos viram o grão verde no pé, dificultando seu reconhecimento imediato.

Simplificando, o cafeeiro, que pode crescer até 10 metros, tem folhas verde-escuras e brilhantes e é dele que vem o café que apreciamos.

Com uma vida útil de 20 a 30 anos, os cafeeiros se adaptam a diferentes climas e preferem solos férteis, temperaturas amenas, bastante sol e chuvas regulares, condições encontradas no sul e sudeste do Brasil, onde o cultivo prospera.

Tipos de Café

O Brasil se posiciona como um dos líderes mundiais na produção de café, ao lado de nações como Colômbia, Vietnã e Etiópia, e ocupa o segundo lugar em consumo dessa bebida.

O país beneficia-se de uma localização ideal para o cultivo, suportando uma ampla gama de variedades de café.

As características distintas de cada grão, como aroma e sabor, são influenciadas pela variedade, solo, clima e altitude em que são cultivados.

Essa riqueza de elementos assegura ao Brasil um papel de destaque na produção de café de alta qualidade.

Explore as principais espécies de grãos de café e suas propriedades únicas a seguir.

Café Excelsa

Recentemente reclassificada como uma variedade da família Liberica, a Coffea excelsa compartilha métodos de cultivo similares, embora ainda seja vista por muitos especialistas como uma espécie única.

A excelsa, que cresce em árvores altas na Ásia Sudeste, participa com apenas 7% na produção global de café, mas é valorizada pelas misturas por enriquecer o sabor e complexidade das notas.

Seu grão possui um corpo azedo e frutado, semelhante a uma torra leve, com notas roasty escuras.

Café Liberica

A Coffea liberica, que já foi economicamente significativa na história do café, tornou-se uma solução durante o surto de ferrugem de 1890 que devastou as lavouras de Arábica.

Os agricultores, incluindo aqueles das Filipinas – então território americano –, adotaram a Liberica para suprir a demanda global.

Contudo, com a independência filipina e a subsequente restrição do café americano, a produção de Liberica declinou.

Em 1995, conservacionistas salvaram algumas das últimas plantas, relocando-as para regiões mais propícias nas Filipinas.

Mesmo assim, o Arábica já dominava o mercado, e o Liberica ficou marginalizado.

O Liberica é notável pelos seus grãos grandes e assimétricos e se distingue por seu aroma único, floral e frutado, com um sabor completo, defumado e amadeirado.

Café Arábica

O Arábica, responsável por mais de 60% da produção de café mundial, é predominante no cerrado mineiro e originado das montanhas etíopes.

Cultiva-se principalmente acima de 1000 metros de altitude, com condições ideais a 1200 metros, onde o grão se beneficia da chuva e sombra.

No Brasil, além de Minas Gerais, o Arábica é plantado em São Paulo, Paraná, Bahia e, em menor escala, no Espírito Santo.

O cultivo exige atenção, pois a planta é sensível ao ambiente e suscetível a doenças, mas é manejável devido ao seu porte pequeno.

A seleção do grão é rigorosa desde o plantio até a torrefação, resultando em um café de qualidade superior, com sabor e aroma complexos, acidez equilibrada e menor teor de cafeína, ideal para bebidas gourmet.

As variedades mais renomadas no Brasil incluem Typica, Caturra, Mundo Novo, Bourbon e outras.

Café Robusta ou Conilon

O café Robusta é o segundo mais cultivado globalmente devido à sua resiliência e adaptação a ambientes variados.

Originário da África Ocidental, é predominante no Vietnã e no Brasil, crescendo bem em climas quentes e úmidos, e em altitudes de até 600 metros.

Com maior teor de cafeína que o Arábica, é resistente a pragas e mais econômico para produzir.

Seu sabor é forte e amargo, com corpo denso e notas achocolatadas, sendo popular em cafés com leite ou em misturas para café solúvel.

Embora não seja comumente classificado como especial, o Robusta pode alcançar alta qualidade se bem cultivado.

Qual a melhor época para plantio do café?

O plantio do café deve ocorrer na primavera/verão, idealmente entre outubro e meados de dezembro, para evitar que as novas plantas sofram com a seca e tenham seu crescimento comprometido.

Como se planta um pé de café?

As condições do solo são cruciais para a cultura do café, uma planta perene. A análise de solo é essencial para ajustar sua fertilidade antes do plantio.

Além disso, é importante selecionar mudas de alta qualidade de viveiros renomados.

Qual a distância entre um pé de café e outro?

No plantio mecanizado, adota-se um espaçamento de 3 a 4 metros entre linhas e, para o plantio manual, de 2,4 a 3,5 metros, mantendo-se de 0,5 a 0,8 metros entre cada pé de café.

Quanto tempo leva um pé de café para produzir?

Geralmente, um cafezal leva entre 2 e 3 anos para começar a produzir, mas o tempo pode variar conforme a variedade de café cultivada.

Como cuidar da plantação de café?

Nos primeiros anos, cuidados intensivos são essenciais para a qualidade do cafeeiro.

Deve-se analisar o solo para um manejo adequado de adubação, garantindo a nutrição correta da planta.

Além disso, práticas culturais como a remoção de ramos ladrões, o controle de ervas daninhas, o manejo de pragas e doenças são vitais para o bom desenvolvimento e produtividade do cafezal, impactando diretamente na lucratividade.

O que fazer com o fruto do café?

A qualidade final do café é fortemente influenciada pelo método de pós-colheita, que pode ser natural ou descascado.

No natural, o fruto é limpo e secado antes de ser armazenado. No método descascado, o fruto é primeiro descascado, e então segue para secagem e armazenagem.

Quanto custa para plantar café?

A implantação de um cafezal gera discussões sobre custos, que variam conforme a região devido à disponibilidade de mão de obra e insumos.

Para avaliar o investimento, elementos como análise de solo, mudas, mão de obra, maquinário e adubo devem ser considerados.

Segundo estudos da Mosaic Fertilizantes em Minas Gerais, o custo estimado para adubação e insumos por hectare até o segundo ano de cultivo é de cerca de R$ 45.000,00.

Melhor adubo para o plantio de café

Para maximizar a produção do café, é crucial fornecer nutrientes essenciais durante a adubação, como potássio (K), magnésio (Mg) e enxofre (S).

O K ajuda na regulação da transpiração e no acúmulo de açúcares, o Mg é vital para a fotossíntese e realça o sabor e aroma do grão, e o S contribui para a formação de proteínas e a saúde das raízes.

O fertilizante K-Mag, da Mosaic Fertilizantes, contém esses nutrientes e possui baixo teor de cloro, beneficiando a qualidade da bebida.

K-Mag promete melhor equilíbrio nutricional e um aumento de produtividade comprovado em 3,3 sacas por hectare comparado à adubação tradicional.

Os tipos mais comercializados no mundo

Cientificamente classificado na família Rubiaceae e gênero Coffea, o café tem mais de 90 espécies, mas só quatro são comercialmente relevantes.

O café Arábica e o Robusta dominam o mercado, sendo responsáveis por cerca de 98% da produção global, cultivados principalmente no Brasil, Colômbia, África e Ásia. As espécies Liberica e Excelsa, embora menos comuns, também contribuem para a produção mundial, especialmente na Malásia, Guiana e em blends de Arábica.

Juntas, Liberica e Excelsa compõem cerca de 1% da produção de café.

Ciclo de Crescimento da Planta de Café

  1. Germinação: A germinação das sementes de café pode levar de 2 a 6 semanas. Durante este período, é crucial manter as sementes em um ambiente úmido e com temperaturas estáveis.
  2. Muda: Após a germinação, as plantas jovens (mudas) são geralmente cultivadas em viveiros por cerca de 6 a 12 meses antes de serem transplantadas para o campo.
  3. Crescimento: Uma vez transplantadas, as plantas de café levam cerca de 3 a 4 anos para começar a produzir frutos em quantidades comerciais. Durante este período, a planta cresce em tamanho e desenvolve sua estrutura.
  4. Produção Plena: A maioria das plantas de café atinge a produção plena por volta dos 5 a 7 anos de idade. A partir deste ponto, se bem cuidadas, podem continuar produzindo frutos por 20 a 30 anos, embora a quantidade e a qualidade da produção possam variar com a idade da planta.
  5. Variações:
    • Arábica vs. Robusta: Plantas de café Arábica geralmente começam a produzir frutos um pouco mais cedo do que as Robusta. No entanto, as Robusta podem ser mais resistentes a certas condições climáticas e pragas.
    • Condições Climáticas: Climas ideais para o cultivo de café incluem temperaturas estáveis entre 15°C e 24°C, com uma boa quantidade de chuva e proteção contra ventos fortes. Variações significativas podem afetar o crescimento e a produção.
    • Cuidados Culturais: A fertilização adequada, a irrigação, o manejo de pragas e doenças, e a poda regular são essenciais para o desenvolvimento saudável da planta de café e podem acelerar seu crescimento e produção.

 

A importância do ciclo na produção de cafés especiais

Entender o ciclo do café enriquece a apreciação pela bebida e é crucial para produzir cafés especiais.

Conhecendo cada etapa, os produtores podem melhorar suas técnicas, elevando a qualidade dos grãos e proporcionando uma experiência única aos apreciadores de café.

Compartilhar essas informações também valoriza a cultura do café, convidando os consumidores a valorizar tanto o produto final quanto sua jornada do campo à torrefação.

Conclusão

O café é uma bebida globalmente estimada, extraída principalmente de quatro espécies do gênero Coffea.

O Arábica e o Robusta são os mais proeminentes, constituindo cerca de 98% do consumo mundial.

As espécies Liberica e Excelsa, embora menos prevalentes, ainda contribuem para a diversidade do mercado, representando em torno de 1% da produção.

Essa variedade assegura uma gama de sabores e aromas, enriquecendo a experiência dos apreciadores.

A pesquisa e cultivo contínuos dessas espécies são cruciais para a qualidade e sustentabilidade da produção de café.